Sign in

Escritor e Ator. Writer and Actor. Using life’s experiences to inspire. https://faustomuniz7.wordpress.com

Julia finalmente conseguiu marcar um “date” com um “crush” irlandês em um dos lugares mais charmosos de Dublin, Portobello. Ela só havia esquecido de um detalhe muito importante.

10%.

Era apenas isso que Julia dispunha na bateria de seu celular para as próximas horas. E não haveria tempo suficiente para carregar o aparelho. Nem local. Ela até que tinha uma bateria extra, um power battery, vazia. Ela nunca se lembrava de carregar, e um power battery sem estar carregado valeria o mesmo que uma moeda de um centavo. A aula de inglês havia acabado e o “date” estava próximo. Não…


O jovem irlandês Craig adora tomar todas com os amigos, mas decidiu sair de seu bando e trabalhar como motorista. Ele tem apenas um dia sem álcool no corpo, mas muita ansiedade para controlar.

Craig era irlandês e havia acabado de completar 18 anos. Sabia que as coisas não seriam como antes. Não poderia mais ficar à toa, nas ruas, com seu bando, fumando baseado e saindo por aí, fazendo arruaça. Poder até que ele podia. Mas sua mãe chegou um dia e o jogou contra a parede: “ou trabalha, ou não bebe mais”! A bebida falou mais alto e ele até queria ganhar uns trocados, seria bacana. Mas Craig não sabia fazer nada. Mal sabia lavar pratos.

ISSO É SÓ UM APERITIVO!

Contos Mágicos de Dublin: embarque nessa viagem. em breve.


Chegar ao trabalho atrasado pode não pegar bem. E é por isso que Alice corre, feito louca, por uma das ruas mais caras e musicais de Dublin. Até que as coisas não saem como ela esperava.

Alice corria. Corria para chegar ao trabalho, estava em cima da hora. Teria pouco mais de 20 minutos para estar no “trampo” no tempo certo. No peito, aquela adrenalina e angústia de quem está fazendo alguma coisa errada. De quem está com algo incerto, algo que denuncia sua irresponsabilidade. “Você nunca vai crescer, viu? Olha só, você, uma já formada, pós-graduada, com 30 anos em cima das costas e ainda se prestando a correr para chegar a tempo no trabalho, sem uma razão importante?” Responderia sim a todas essas perguntas.

ISSO É SÓ UM APERITIVO!

Contos Mágicos de Dublin: embarque nessa viagem. em breve.


O que fazer quando a chuva não chove apenas por fora, mas por dentro de você também? A chuva não parava de cair na alma de Clara e ela deixou de ver as cores do mundo ao seu redor. O empurrãozinho para sair dessa deprê veio de onde ela menos esperava.

As cores do tempo mudavam as cores da alma de Clara. Tudo o que havia cor lhe tocava. Tudo lhe tocava, especialmente as cores e o clima do mundo. Clara tinha o que as pessoas diziam ser uma espécie de sensibilidade ao clima. O tempo mudava, ela mudava. …


Os moradores de Malahide não esperavam que os pássaros voltariam tão cedo ao vilarejo. Apenas Sean, um misterioso pescador, parece entender o que eles pretendem.

A

bola de fogo de um sol inabalável explodia no céu de Malahide, um pedaço de Dublin que pertencia a família dos Talbot desde os anos de 1185. Esse imenso círculo de luz mantinha a paz nos arredores do castelo medieval de Malahide. Por fora desse monumento, o verde-vivo do seu gramado bem nutrido harmonizava com o azul puro de um céu sem nuvens, orgânico, virgem. Próximo a essas propriedades, um litoral lotado de gaivotas.


O duende Patrick adora a solidão, odeia conversar, e não pensa duas vezes em usar sua mágica para desaparecer de perto dos humanos. No único dia do ano em que fica em casa, ele decide quebrar o jejum e soltar o verbo. Mas como e com quem?

Patrick queria conversar com alguma coisa. Ao longo da sua vida, Patrick somente havia conhecido outra criatura igual a ele uma única vez. Ela era linda e ele se apaixonou instantaneamente, paixonite à primeira vista. Só que ela era assim como os outros. Era travada e adorava solidão. Assim que ela o percebeu…


Inspirado no poema Quadrilha, de Carlos Drummond de Andrade, esse conto narra as aventuras de um grupo de amigos brasileiros, das mais diversas regiões, em um raro dia quente em Dublin.

Laura gostava de Tiago, que gostava de Nara, que gostava de Tati, que gostava de Diego, que gostava de Lucas, que gostava de Laura. A história era basicamente essa, uma explícita imitação do clássico poema de Drummond, e ninguém sabia disso. Nenhum deles sabia que fulano gostava de cicrano, que curtia beltrana, que era caidinha por cicrana.

E ainda assim, continuavam amigos, que dividiam algumas coisas da vida entre…


Depois de tentar ser advogada no Brasil, Vivi embarcou para a Irlanda para realizar seu grande sonho: ser cantora. O grande dia chegou, mas ela vai precisar lidar com um inimigo que a acompanhou a vida inteira: seu nariz.

“Bem que ‘binha bãe bandou’ eu trazer ‘bais’ antialérgico. Eu ‘debia’ ter ‘oubido’ ela, ‘bas’ eu fui ‘teibóda’”.

Vivi já não sabia mais o que fazer. O nariz havia entupido de vez. Tinha 24 anos. O intercâmbio havia sido pago pelos pais, que finalmente haviam desistido de fazê-la seguir em frente na carreira de advogada. Prestou o exame da Ordem dos…


Os quatro cantos da capital irlandesa são dominados e aterrorizados por James e seu exército de gaivotas treinado ao longo dos séculos. Seu império é posto em xeque quando um antigo rival volta à tona e ameaça roubar seu território. Livremente inspirado em Game of Thrones (que eu nunca assisti).

C#omeçava com verde, depois azul, alguns tons de roxo, puxando para vermelho. Então ficava amarelão, forte, vivo. Branqueava e ficava rosado, até misturar tudo e que cada um enxergasse a cor que quisesse ver. Esse era o céu de Dublin. Um céu, nos meses de outono, que se aquarelava numa…


Confira as últimas notícias sobre as estranhas mudanças que andam amedrontando os moradores da maior cidade da Irlanda.

Com informações da Agência de Notícias REUTERS — Os ânimos andam exaltados na capital irlandesa. Um estranho fenômeno foi avistado na manhã da última quinta-feira, entre 10h e 11h. O fenômeno se caracteriza por uma luminosidade amarelada que aparece entre nuvens durante alguns dias do ano e é capaz de provocar um aquecimento significativo na pele. Especialistas apontam que essa anormalidade, bastante comum em países de clima tropical, atende pelo nome de ‘Sol’. Eles alegam que a localização e o clima da Irlanda são alguns dos fatores que impedem a permanência desse fenômeno por mais tempo ao longo do ano.

ISSO É SÓ UM APERITIVO!

Contos Mágicos de Dublin: embarque nessa viagem. em breve.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store